sexta-feira, 5 de junho de 2009

Sem paixão D.C.











Cristiano Silva Rato*

Os séculos passam,
Com tempo pendurado na parede,
As teias que tecem a louca,
Bastarda cura dos dias.

Prata presa na pressa,
Cem rumos... sem tempo,
Voa o passar,
Esquece as penas.

Açoita a moça na praça,
Na noite do absurdo,
Bramo, escama... cabelo,
Serei no asfalto.

Mãos... alto... parado,
... recebe, um tal, salário,
Vive sem pão... a morte,
Nos olhos do filho eterno.

Contato: cristpsilva@gmail.com