sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Arpejos sem perspectiva











*Joaquim Moncks

A fúria de mudar o mundo
é um boneco desanimado.
Aos mais de sessenta,
sou um maiacovski sem forças.
Tentei o novo.
Surgiu-se-me o fantasma do Real.

Empobreceu-se
de valores a criatura.
Milênio terceiro. Farsa.
Bato à porta do futuro:
neurônios alertam
para o visto, o revisto.

Tinge-se de sangue a janela
da esperança
“a trepada é o lirismo do povo”.

Tempo de asperezas.
O braço que estende a mão ao óbolo
duplica-se, triplica-se, multiplica-se.
A fome vai além do gesto.

– Do livro "Bula de Remédio", 2004/2009.
Publicado também no Recanto das Letras.
*joaquimmoncks@gmail.com