domingo, 7 de março de 2010

Cine Love: mercado











Eduardo Sabino*

Vendem-se amores perfeitos e que duram para sempre: três anos de garantia. A pessoa amada em 12 prestações, sem juras.

Namorados em liquidação, oferta limitada. Troque o seu amor antigo por um novo, voltando apenas dez anos. Não aceitamos devolução de carentes e depressivos. Se houver algum sinal de ciúmes, em até sete dias úteis, trocamos. Virgens, aqui, são baratas. Canalhas custam mais caro.

Beijo é peça indispensável desta estação. Colágeno para lábios pequenos, manteiga de cacau para lábios secos, extintores de incêndio para almas fogosas. Não deixe de levar, freguês, pomada para a dor no cotovelo. Ferida fecha em poucos meses.

Compramos maridos usados, esposas frustradas, ninfetas de todas as cores e signos. Chaveiro do mistério: aqui a fechadura de qualquer céu, a chave de qualquer abismo.

Apaixonados, sonhadores, infiéis, fingidores. Somos a bala na boca da morte. Quando o gosto acabar, talvez ainda estejamos aqui.

Pulseiras, grãos de arroz, anéis e colares. Grave o nome de vocês no sorriso do tempo. Enquanto os dentes dele não mastigam os dias. Enquanto há estrelas no céu da boca do futuro. Enquanto a liquidez da vida não escorre.

“A bateria para coração que comprei aqui, seu moço, está viciada.”

*eduardosabino1986@yahoo.com.br