domingo, 11 de abril de 2010

Depois de ter você











Larissa Minghin*

Ela gostava de guardar no bolso imenso do casaco amarelo todas as coisas do mundo.

Guardava cores, o cheiro dos amigos de infância, o vento-bagunça-cabelo, o vento-levanta-vestido, o cheiro de chuva da avó materna, o cheiro de domingo de sol do avô, as previsões catastróficas da melhor amiga virginiana, os beijos que sentiu, o cheiro de cada lugar onde viveu. Guardou olhos-sorrindo, os conselhos da tia-prima-segunda da vizinha da frente, guardou os que sorriam pra ela, os que foram e prometeram voltar, os que voltaram, os que não...

Um dia encontrou o mar... se olharam, imensos! Entregou o que tinha.

Tirou o casaco, se desfez do botão colorido e sacudiu devagar pra se despedir de tudo. Ficou ali, olhando o mar abraçar seus dias sem pressa. Fechava e abria os olhos, sentia o vento, respirava fundo, aliviada, todo silêncio do mundo e ela.

Menina que tanto guardou do mundo, agora derramava mar dos olhos.

*laraminghin@gmail.com