domingo, 12 de dezembro de 2010

Zangareio











Flávio de Araújo*

As crenças infantis

Eu era menino como todos foram ou são
e sob as barras do manto
de Santa Tereza Justafé fui criado

- mudo de opinião.

Menino descozido de crenças
mas tradicionalmente religioso
(rezava aves e pais).

Trocava a água das flores
rosas brancas e encarnadas contrastavam
com o local lúgubre
onde o ranço de velas impregnava
as fotografias dos enfermos.
Tudo naquela casa se prostrava
aos pés de porcelana queimada
de Santa Tereza Justafé.

Vó Coralina antes de deixar morrer
o símbolo majesto
da matriarca que era,
tinha por desejo supremo
ser enterrada com a santa

- e foi.

Naquela mesma noite
arrebentaram-me a boca
pois como esperavam o consentimento
de um menino-anjo
achei que seria muito justo
que os mortos fossem enterrados
com seus mortos.
  
Quinhão

À mesa, como num tribunal
sob o juízo de nossa mãe
disputávamos, com fervor,
os melhores pedaços
da magra galinha.

As irmãs menores,
cada qual com suas asas,
balbuciavam qualquer coisa
de bom
voando entre os dentes.

O impasse era sempre
com as coxas.
Duas
para três admiradores.

Fora o confronto
tomei predileção
por peitos.

O que Freud explicaria
com a teoria das perdas.


Epitáfio a um antropófago

Aqui jaz
Hannibal Lecter
que ao devorá-los
juntou a fome
com a vontade
de comer.


A bomba no homem

Protejo-a dos meus esgoelamentos
soldando os lábios em mig-mag
carnivorando todo ar cálido,
descomprimindo
as coisas que nos apaixonam por dentro.

Fissura-se
a menor
das menores partes do amor
em
estupor
e
estampir.

E o pino da granada
em nossas línguas.

*Flávio de Araújo é filho de uma família de pescadores da Praia do Sono, comunidade caiçara situada em Paraty-RJ. Durante a FLIP de 2008 trabalhava entregando marmitex quando quase atropelou o poeta Benjamin Zephaniah, desde então deixou de atropelar escritores com acebolados e parmegianas lançando Zangareio (poesia), pelo Selo OFF FLIP. Participou da FLIPORTO - Festa Literária Internacional de Porto de Galinhas (Pernambuco, 2008), e do XIV Festival Internacional de Poesía de la Habana (Cuba, 2009). Contato: flaviopty@hotmail.com.